MUNICÍPIOS

Pão de Açúcar: Morre a presbiteriana Eulina Paiva Mazoni, aos 96 anos

Mais dois falementos foram registrados de senhoras muito conhecidas, na noite desta sexta-feira (9).


icon fonte image

  Fonte: Da Redação

Eulina Paiva Mazoni...

Eulina Paiva Mazoni...   Foto: Reprodução/Cortesia

Postado : 10/10/2020

Faleceu na noite desta sexta-feira (9), aos 96 anos de idade, a senhora Eulina Paiva Mazoni, na cidade de São José da Tapera, onde se encontrava na companhia de uma sobrinha. Natural de Pão de Açúcar, servidora aposentada do antigo INPS, ela prestou relevantes serviços à população pão-de-açucanse. Pertencia a uma das mais tradicionais famílias da plaga de Jaciobá (Paiva Mazoni). Era uma profunda conhecedora da história do protestantismo em Pão de Açúcar, principalmente da Igreja Presbiteriana Independente. Foi uma grande colaboradora do trabalho de evangelismo e a ela atribui-se, também, entre outros membros, o crescimento da Igreja Presbiteriana Independente em Pão de Açúcar e na região. Atendendo a um pedido da senhora Eulina Mazoni, foi erguido em uma das principais praças do centro da cidade de Pão de Açúcar, precisamente em frente ao templo-sede da Igreja Presbiteriana Independente, na Avenida Bráulio Cavalcante, um monumento em homenagem ao Reverendo J. R. Smith, um dos construtores dos percussores da Igreja Presbiteriana em Pão de Açúcar e cidades ribeirinhas do Baixo São Francisco. O corpo da senhora Eulina Mazoni”, como era popularmente conhecida, desde de ontem à noite esteve sendo velado no templo da Igreja Presbiteriana Independente, na cidade de Pão de Açúcar. Segundo informações da pastora Ana Paula, o sepultamento ocorreu às 11 horas deste sábado (10), no Cemitério São Francisco de Assis. A Igreja Presbiteriana, através do Presbítero Marcos Salles, publicou a seguinte nota:

'Comunicamos, com profunda tristeza, o falecimento da irmã Eulina Mazzoni, anciã da IPI de Pão de Açúcar e uma das maiores referências de amor e dedicação à obra do Senhor.

A irmã Eulina dedicou a sua vida (recursos humanos, capacidade e condições financeiras) à vida da igreja, desde à IPI de Pão de Açúcar até a Congregação de Maceió.

Foi uma das pessoas mais apaixonadas pelo evangelho e pela obra da evangelização.

Sua atuação foi desde a dedicação espiritual à dedicação administrativa, defendendo que a igreja nunca parasse ou ficasse sem pastor, custeando a aquisição de patrimônio material e imaterial, bem como fazendo volumosas doações simbólicas e financeiras à igreja.

Nós que a conhecemos e tivemos o privilégio de termos sido acolhidos por ela, choramos a angústia da ausência, que será marcada pela dor da despedida e dará lugar à saudade.

Por outro lado, sabemos que a nossa esperança ultrapassa os limites deste mundo, pois o amor de Deus é mais forte do que a morte. E, por isso, agradecemos a Deus que conduziu e recebeu a querida irmã Eulina de vitória em vitória e a promoveu à glória celeste e eterna.

A irmã Eulina “combateu o bom combateu, acabou a carreira e guardou a fé!”

Presb. Marcos Sales, da IPI de Pão de Açúcar, AL"

 

A senhora Eulina Paiva Mazoni (primeira à esquerda) ao lado

do presbítero Marcos Salles e da pastora Ana Paula...

Foto: Reprodução: Cortesia.

 

 

Morre a mãe do apicultor "Cícero Mangueirinha"

Faleceu nesta sexta-feira (9), em Pão de Açúcar, a senhora Domecília Alves da Silva, conhecida como "Dona", aos 95 anos. Ela era a viúva do senhor Júlio da Silva e mãe do conhecido apicultor Cícero Alves da Silva (Mangueirinha) e do empresário José Francisco da Silva, ex-funcionário do Produban.  O sepultamento ocorreu às 9 horas deste sábado (10), no cemitério São Francisco de Assis. Dentre os filhos da falecida estão: Cícero  (Mangueirinha), Davino, Antonio (Toinho), Aparecida (Cida), José Francisco (Galego), Washington, Rubens (Rubinho).

 

Morre, aos 72 anos, "Marinalva do finado Júlio"

Foi registrado, também, o falecimento da senhora Marinalva dos Santos Pereira, conhecida como “Marinalva do finado Júlio”, aos 72 anos. Mãe da professora Maria Ivone Pereira Rosa e sogra do serventuário da Justiça federal, Dr. Aldo Alves Rosa. O sepultamento ocorrerá nesta sexta-feira (9), no Cemitério São Francisco de Assis, em Pão de Açúcar. Dona Marinalva chegou a trabalhar, nos idos de 1980, na Secretaria Municipal de Educação de Pão de Açúcar. O genro e jurista Aldo Alves Rosa expressou, em nome da família, sua indignação, à reportagem do NQ,  no tocante à forma desumana e o descaso com que dona Marinalva foi tratada em uma Unidade de Saúde de Arapiraca, fato que, sem dúvida, muito contribuiu para antecipar a morte da paciente.

 

A senhora "Marinalva do finado Júlio (centro) ladeada pelos

genros "João de Mauro" e  Aldo Alves Rosa...

Foto: Reprodução/Redes sociais

 

 

Prefeito Clayton Pinto manifesta votos de pesar

Através da Assessoria de Comunicação (ASCOM) da Prefeitura Municipal de Pão de Açúcar, durante a programação institucional da emissora Rio FM de Porto da Folha - Sergipe, o prefeito Clayton Farias Pinto manifestou, neste sábado (10), votos de pesar pelas mortes das senhoras Eulina Paiva Mazoni, Domecília Alves da Silva (Dona) e Marinalva dos Santos Pereira (Marinalva do finado Júlio), ocorridas nesta sexta-feira (9). O prefeito considerou as três mortes como perdas irreparáveis para a sociedade pão-de-açucarense, já que eram muito conhecidas no município de Pão de Açúcar.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Comentários

Escreva seu comentário
Nome E-mail Mensagem