TELEVISÃO

Morre o ator Flávio Migliaccio, aos 85 anos de idade

A morte foi confirmada pelo 35º Batalhão de Polícia Militar. O boletim de ocorrência foi registrado como suicídio.


icon fonte image

  Fonte: Com Diário de Pernambuco - Por Viver Diário

Flávio Migliaccio...

Flávio Migliaccio...   Foto: Reprodução/Diário de Pernambuco/Rede Globo

Postado : 04/05/2020
O ator Flávio Migliaccio morreu aos 85 anos de idade. Flávio foi encontrado morto nesta segunda-feira (4) em seu sítio localizado em Rio Bonito, no Rio de Janeiro. A morte foi confirmada pelo 35º Batalhão de Polícia Militar. O boletim de ocorrência foi registrado como suicídio.
 
O ator nasceu em 26 de agosto de 1934, no bairro do Brás, São Paulo. Em 1954, fez o curso de teatro do italiano Ruggero Jacobbi. Ao final, foi encaminhado para o grupo amador Teatro Paulista do Estudante. Sua profissionalização se deu com o Teatro de Arena, onde participou de uma série de peças, como A Revolução na América do Sul, de Augusto Boal; Eles não Usam Black-Tie, de Gianfrancesco Guarnieri, e Chapetuba Futebol Clube, de Oduvaldo Vianna Filho.

Fez algumas participações na TV Tupi e atuou em dois longas-metragens de Roberto Santos – O Grande Momento (1958) e A Hora e a Vez de Augusto Matraga (1965). Em 1962, participou de Cinco Vezes Favela, atuando e escrevendo. No ano seguinte, estreou como roteirista e diretor em Os Mendigos.  
 
A carreira de Flávio Migliaccio na Globo começou em 1972, em O Primeiro Amor, novela de Walther Negrão, onde viveu Xerife. O sucesso foi tamanho que a emissora criou o seriado Shazan, Xerife & Cia, que ficou no ar de 1972 a 1974, em que atuou com Paulo José. Foi uma das primeiras vezes na televisão brasileira em que personagens de uma novela ganhavam um programa próprio. A dupla foi reeditada em 1998, em uma participação especial na novela ‘Era uma Vez...’, também de Walther Negrão, que assim homenageou os 25 anos dos personagens. 
 
Baseado em Xerife, Flávio criou o personagem Tio Maneco, que lhe rendeu alguns longas-metragens produzidos, dirigidos e estrelados por ele. Um dos filmes, 'As Aventuras de Tio Maneco', chegou a ser vendido para 31 países e resultou num prêmio em um festival de cinema infantil na Espanha  
 
Entre os sucessos do ator na TV, destacam-se ainda as participações em Rainha da Sucata (1990), de Silvio de Abreu; A Próxima Vítima (1995), do mesmo autor; Caminho das Índias (2009), de Glória Perez; e Passione (2010), também de Silvio de Abreu. O ator também participou dos principais humorísticos de sucesso da Globo, como Viva O Gordo (1981), Chico Anysio Show (1982) e Sai de Baixo (1987). 
Entre seus papéis mais célebres, estão participações em novelas da Rede Globo. Entre elas, como e Xerife da novela O Primeiro Amor e do seriado infantil Shazan, Xerife & Cia. O ator também trabalhou em clássicos da emissora como Rainha da Sucata, Perigosas Peruas, A Próxima Vítima, Vila Madalena, Senhora do Destino e Passione.
 
Já no cinema, é muito lembrado por seu papel como Tio Maneco dos filmes Aventuras com Tio Maneco e Maneco, O Super Tio. Seu nome também consta nos créditos de clássicos como A hora e vez de Augusto Matraga, Terra em transe e O homem que comprou o mundo.
 
Atualmente, Flávio aparece na reprise de Êta Mundo Bom (2016). Seu último trabalho na TV foi como Mamede em Órfãos da terra (2019).

Comentários

Escreva seu comentário
Nome E-mail Mensagem