CULTURA

Pão de Açúcar: Morre a mãe de santo e mestra Terezinha de Bamba, aos 76 anos, vítima da COVID-19

Ao saber da notícia de sua morte, o prefeito de Pão de Açúcar, Clayton Farias Pinto, publicou uma nota de pesar nas plataformas oficiais da Prefeitura Municipal de Açúcar.


icon fonte image

  Fonte: Da Redação

Comemorando os 73 anos, em 2017

Comemorando os 73 anos, em 2017   Foto: Reprodução/Cortesia/Laercio de Bamba

Postado : 16/07/2020

Pão de Açúcar perdeu, no início da noite desta quarta-feira (15), a mais conhecida “mãe de santo” da plaga de Jaciobá, a senhora Terezinha Assis Santos, aos 76 anos, conhecida popularmente como “Mãe Terezinha de Bamba”, em consequência de contaminação pela COVID-19, o novo coronavírus.

Segundo informações do filho “Laércio de Bamba”,  à reportagem do Notícia Quente, “Mãe Terezinha de Bamba ” veio a óbito por volta das 17 horas, em consequência da contaminação pela COVID-19, já que pertencia ao grupo de risco, por ter idade avançada e ser hipertensa.  O sepultamento foi realizado no início da manhã desta quinta-feira (16), no Cemitério São Francisco de Assis, na cidade de Pão de Açúcar, onde nasceu e vivia.

Com a morte da mais famosa “mãe de santo” de Pão de Açúcar, a plaga de Jaciobá perde um patrimônio vivo da cultura afrodescendente, que recebia sempre professores e estudantes universitários em busca de informações para enriquecer  suas pesquisas.

Como umbandista, ela criou o Centro Espírita São Jorge, localizado no Alto Zeferino, no qual desempenhava a função de diretora e atuava, ainda, como “mãe de santo”.

No Brasil inteiro “Mãe Terezinha de Bamba” tinha vários seguidores que sempre a procuravam em busca de ajuda espiritual.  Agora, com a sua morte, o Centro São Jorge passa a ter uma nova diretora e uma nova mãe de santo, “Gracinha de Bamba”,  uma filha da falecida. 

 

Mestra da cultura ribeirinha

Na qualidade de ex-plantadora de arroz, ela era considerada, também, uma mestra da cultura ribeirinha e deu grande contribuição para o resgate das cantigas das plantadoras de arroz das antigas lagoas de Pão de Açúcar, transmitindo esse rico conhecimento para seu filho “Mestre Laércio de Bamba”, um dos grandes incentivadores de grupos de coco de roda existentes no município de Pão de Açúcar. 

A morte da mestra e mãe de santo, “Terezinha de Bamba”, deixa uma lacuna impreenchível na cultura afrodescendente e, principalmente, na cultura pão-de-açucarense.

Ao saber da notícia de sua morte, o prefeito de Pão de Açúcar, Clayton Farias Pinto, publicou uma nota de pesar nas plataformas oficiais da Prefeitura Municipal de Açúcar. Confira abaixo.

 

NOTA DE PESAR PELA MORTE DA SENHORA “TEREZINHA DE BAMBA”.

O prefeito Clayton Farias Pinto e demais integrantes do Governo Municipal de Pão de Açúcar vêm, consternados, manifestar votos de pesar à família enlutada da senhora Terezinha Assis Santos, conhecida como “Terezinha de Bamba”,  aos 76 anos, ocorrido no fim da tarde desta quarta-feira (15). O sepultamento foi realizado na manhã desta quinta-feira (16), no Cemitério São Francisco de Assis, nesta cidade, obedecendo ao protocolo COVID-19.

A falecida era ligada à cultura afrodescendente, onde trabalhava  diretora do Centro Espírita São Jorge e, desde de jovem, atuava como “mãe de santo”, sendo por isso, conhecida popularmente como “Mãe Terezinha de Bamba”.

Que o Espírito Consolador promova conforto aos familiares. Descanse em paz, dona “Terezinha de Bamba”, na Morada Eterna. Perpétua saudade.

 

Comentários

Escreva seu comentário
Nome E-mail Mensagem