BRASIL

Inspetora da polícia agride funcionária de pousada em Jericoacoara

Segundo dona da pousada, agressão ocorreu após funcionária pedir que mulher usasse máscara


icon fonte image

  Fonte: Com Gazetaweb - Por G1

Funcionária pediu para que inspetora usasse máscara e foi agredida

Funcionária pediu para que inspetora usasse máscara e foi agredida   Foto: Reprodução

Postado : 12/10/2020

Uma inspetora da Polícia Civil foi filmada agredindo uma funcionária da pousada onde ela estava hospedada em Jericoacoara, no litoral do Ceará, neste domingo (11). O vídeo, feito pela vítima da agressão, pode ser visto acima.

De acordo a dona da pousada, Antônia Maria de Sousa, a agressão ocorreu após a funcionária, que não teve a identidade revelada, solicitar que a mulher usasse máscara dentro do estabelecimento.

 

No vídeo, a funcionária caminha atrás da inspetora de polícia e narra o episódio, contanto que a mulher não quis usar o acessório. No momento da filmagem em que a agressora agride a funcionária, ela está usando máscara no rosto.

O G1 tentou entrar em contato com a inspetora, mas as ligações não foram atendidas.

Uma lei em vigor no estado do Ceará obriga o uso de máscara em locais públicos e privados, com multa de R$ 100 em caso de descumprimento.

A praia de Jericoacoara, uma das mais procuradas por turistas do Ceará, esteve lotada neste fim de semana. Houve pelo menos três ocorrências de violência envolvendo policiais e diversas denúncias de descumprimento das normas sanitárias para evitar o contágio por coronavírus.

Policiais se recusaram a atender chamado

De acordo com a proprietária da pousada, os policiais foram chamados para atender o caso de agressão, mas se recusaram a atender depois que souberam que a pessoa denunciada também era policial.

"Os policiais disseram que não iam levar ela na delegacia e eu fui saber o porquê. Me disseram que se quisesse que a gente contratasse um táxi para ir até a delegacia. Ela (funcionária) chorava muito, estava muito machucada e o tenente muito alterado. O policial militar me jogou no chão e me chutou dizendo que não era meu empregado. Ainda pegou meu celular e jogou dentro da viatura. Nos humilhou muito", contou Antônia.

Após também ter sido agredida, a empresária disse ter entrado em contato com advogados e ido junto à funcionária até uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), onde foram medicadas.

A vítima reclamou por não ter sido acolhida pelos policiais militares e disse que mesmo em situação de flagrante eles se negaram a encaminhá-la até um local onde pudesse ser feito exame de corpo de delito.

Investigação

A Secretaria da Segurança Pública informou, por nota, que a ocorrência vem sendo apurada. "Todas as circunstâncias do fato, bem como do atendimento prestado pelos profissionais de segurança acionados até o local são acompanhados pela pasta. Oitivas ocorrerão ainda na nesta segunda-feira (12), na Delegacia Regional de Camocim", conforme a SSPDS.

Já a Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos de Segurança Pública e Sistema Penitenciário (CGD) disse ter determinado a imediata apuração dos fatos na seara administrativa disciplinar.

Uso de spray de pimenta

Outra ocorrência também relacionada a abuso de autoridade foi registrada em Jericoacoara no último fim de semana. O representante jurídico Wellington Robert contou que estava em uma barraca de caipirinha na praia, na noite do sábado (10), quando policiais militares chegaram ao local acionando spray de pimenta contra os visitantes.

"Foi do nada. Eles não avisaram, nada. Jogaram spray de pimenta e queimou minhas costas. Fui para a UPA. Isso é uma falta de respeito muito grande. Abordagem agressiva", disse Robert.

Sobre este caso, a Polícia Militar do Ceará foi contatada pela reportagem, mas não havia retornado até por volta de 16h15 desta segunda-feira.

Comentários

Escreva seu comentário
Nome E-mail Mensagem