ECONOMIA

Gasolina em Maceió ficou quase R$ 0,30 mais cara em abril, diz Procon

Preço médio foi de R$ 4,54 nos postos da capital; comparação é feita com o mês de março. Pesquisa aponta que todos os combustíveis sofreram aumento.


icon fonte image

  Fonte: G1 AL

Preço médio dos combustíveis em Maceió sofreu aumento em relação ao mês de março, segundo o Procon

Preço médio dos combustíveis em Maceió sofreu aumento em relação ao mês de março, segundo o Procon   Foto: Reprodução/EPTV

Postado : 01/05/2019

O preço médio da gasolina em Maceió fechou o mês de abril deste ano em R$ 4,54, valor mais alto que o registrado em março. Aumentos também foram sentidos pelos motoristas na hora de abastecer com álcool e diesel, de acordo com levantamento divulgado pelo Procon nesta quarta-feira (1º).

Segundo o levantamento do Procon Maceió, a gasolina na capital em abril foi, em média, R$ 0,26 mais cara que no mês anterior.

Já o etanol fechou abril com preço médio de R$ 3,67, cerca de R$ 0,28 mais caro que no mês anterior. Em alguns postos, no entanto, os consumidores chegaram a pagar até R$ 4.

O diesel C sofreu aumento de R$ 0,11, sendo vendido, em média, por R$ 3,82; e o diesel S10 subiu R$ 0,04 em relação a março, sendo comercializado em média por R$ 3,78.

De acordo com o Procon, o aumento se deu por conta dos quatro reajustes anunciados pela Petrobras no início de abril, o que provocou um aumento de 3,5% nas refinarias, o maior desde o início do ano.

“É fundamental realizar pesquisas para comparar os preços e abastecer preferencialmente nos postos mais baratos, sempre solicitando e guardando as notas fiscais. Isso incentiva a diminuição por parte dos postos concorrentes e evita o aumento excessivo no preço dos combustíveis”, orienta Leandro Almeida, diretor executivo do Procon Maceió.

Mais informações ou denúncias podem ser feitas por meio dos telefones 0800 082 4567 e 98882-8326. Este último número também recebe mensagens por Whastapp. O atendimento é realizado de segunda a sexta-feira, das 8h às 14h.

Comentários

Escreva seu comentário
Nome E-mail Mensagem