JUSTIÇA

Cinco anos depois, acusado de matar dono de casa de shows em Maceió será julgado em junho

O crime ocorreu no dia 26 de fevereiro de 2014.


icon fonte image

  Fonte: TNH1

  Foto: Arquivo/TNH1

Postado : 12/03/2019

O ex-gerente da casa de shows Maikai, Marcelo dos Santos Carnaúba, acusado de matar o empresário Guilherme Paes Brandão, proprietário do estabelecimento, em 2014, vai a júri popular no dia 13 de junho deste ano. A informação foi confirmada pela assessoria de comunicação do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ-AL) nesta terça-feira (12).

O crime, que completou cinco anos no último dia 26, teve grande repercussão no Estado. Primeiramente, as investigações apontaram que Guilherme teria sido vítima de latrocínio, quando dois assaltantes teriam invadido o local e atirado contra ele por R$ 2 mil. Dias depois, Marcelo confessou o crime.

Em 2016, a defesa do ex-gerente ingressou com recurso em sentido estrito requerendo o reconhecimento do homicídio privilegiado (aquele cometido sob domínio de violenta emoção); a exclusão das qualificadoras, a substituição da prisão preventiva do recorrente por medidas cautelares e a absolvição do réu pelo crime de fraude processual. Nenhum dos pedidos, no entanto, foi deferido pela Câmara Criminal, que manteve na íntegra a sentença de pronúncia. 

O julgamento está agendado para as 8h do dia 13 de junho e será comandado pelo juiz John Silas da Silva, da 9ª Vara Criminal da Capital.

O caso

O crime ocorreu no dia 26 de fevereiro de 2014, por volta das 8h20, no interior do Maikai, que funciona no bairro da Jatiúca, em Maceió. Marcelo Carnaúba trabalhava no estabelecimento como gerente administrativo, acumulando ainda a gerência financeira. 

Conforme consta na sentença de pronúncia, ele confessou ter efetuado o disparo que vitimou Guilherme Brandão. O crime supostamente ocorreu porque o proprietário teria descoberto que Marcelo desviava dinheiro da empresa.

Comentários

Escreva seu comentário
Nome E-mail Mensagem